Amaranto e Quinua: dois cereais indispensáveis na sua dieta

segunda, 30 de julho de 2012

Quinua ou Quinoa  é rica em ômega 3 e 6, gorduras que  ajudam na redução do colesterol ruim, o LDL. Nesta planta estão presentes 20 aminoácidos diferentes e entre eles a lisina, que ajuda a fortalecer a imunidade e a melhorar a capacidade da memória.

A quinua é uma excelente fonte de carboidrato de baixo índice glicêmico, que leva mais tempo para ser transformado em açúcar no sangue. Isso evita a produção em excesso de insulina, o hormônio responsável pelo estoque de gordurinhas.

Além disso, a quinua contém fitoestrógenos (hormônios vegetais) que ajudam a amenizar os sintomas da TPM e menopausa.

A grande riqueza da quinua está no seu grão muito rico em proteínas. Elas podem auxiliar na elasticidade das fibras musculares e na recuperação de músculos, tecidos e células.

Já o Amaranto é conhecido como feijão dos Andes. É um arbusto que pode atingir até 2 metros de altura.

Para o amaranto não é tanto o teor de proteína que é essencial, mas a qualidade dessa proteína que contém todos os aminoácidos essenciais à vida humana. A FAO considera que o amaranto a melhor proteína de origem vegetal do planeta. Esse alimento estimula a recuperação e o ganho de massa magra, sendo uma ótima opção para atletas, praticantes de atividade física e idosos.

O amaranto é rico em cálcio biodisponível (melhor absorvido pelo organismo), ferro, zinco, magnésio, fósforo, vitaminas A e C e fibras. Elas ajudam na redução dos níveis de colesterol no sangue e auxiliam na perder peso, pois os flocos naturais de fibra reduzem o apetite. Além disso, apresenta ação antioxidante, contribui para a melhora do funcionamento do sistema imunológico.

Ambos os cereais são indicados para todas as pessoas, inclusive para crianças, lactantes, celíacos, idosos, atletas e vegetarianos.

Fonte: Dra. Fernanda Granja

          Dieta Certa

 


Fechar
Cadastre-se
    Fechar
    Editar cadastro